Descarte de medicamentos

Aside

medicamentosSaúde é tema sério, por isso requer atenção.O resíduo de saúde, que inclui remédios vencidos ou que sobraram de algum tratamento, podem contaminar o solo e a água, nos aterros sanitários e lixões, trazendo riscos para o meio ambiente e para o ser humano.

Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), estima-se que entre 10 mil e 28 mil toneladas de remédios são jogados fora pelosconsumidores a cada ano.

Via de regra, remédios de venda controlada (tarja vermelha e preta) devem ser entregues em locais autorizados pela Anvisa, como postos de saúde e das vigilâncias municipais. No entanto, ainda NÃO existe uma regulamentação específica, mesmo após a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, pelo governo federal.

Na capital paulista, a prefeitura oferece pontos de coleta em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e firmou parcerias com o comércio, incluindo redes de farmácias e de supermercados. Você pode saber os endereços mais próximos de sua casa, acessando o endereço .

DESTINO CERTO
Em São Paulo, já existe um processo para tratamento dos resíduos de saúde. Estes são classificados em grupos diversos, e cada um recebe uma destinação diferente. Materiais como algodão, gaze e outras bandagens, e também os objetos perfurocortantes, como seringas e agulhas, são levados a uma Usina de Tratamento, onde recebem descontaminação e posteriormente são encaminhados para aterros. Já os medicamentos vencidos e produtos químicos são incinerados em usinas preparadas ambientalmente.

Para o caso de caixas de medicamentos e bulas, por serem de papel, podem ser recicladas. No entanto, para evitar fraudes ou reaproveitamento inadequado (em falsificações de medicamentos, por exemplo), o certo é rasgá-las antes de descartá-las.

#DICAS
– Verifique regularmente a data de validade de seus medicamentos.
– Descarte adequadamente os que estiverem vencidos.
– Procure sempre um médico. Evite a automedicação.

#acerte. Atitude muda tudo.

Link:http://goo.gl/VRE8v.