Alimentos que ajudam a combater o colesterol

colesterol

O colesterol alto, mal que atinge cerca de 40% dos brasileiros, são apontadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal causa para a morte de, aproximadamente, 17 milhões de pessoas em todo o mundo. Outro dado alarmante foi publicado recentemente no periódico Circulation, da Associação Americana do Coração. O estudo revelou que a cada dez anos em que uma pessoa vive com a taxa de colesterol elevada, o risco de ela sofrer uma doença do coração aumenta em quase 40%.

De acordo com Flávia Morais, coordenadora de nutrição da rede Mundo Verde, existem dois tipos de colesterol. O bom, chamado de HDL, e o ruim, conhecido como LDL. “Como a própria descrição sugere, o ruim leva ao acúmulo de placas de gordura nas paredes internas das artérias, reduzindo o fornecimento de sangue para órgãos vitais, como o cérebro e o coração. Por razões como essas, o LDL alto está associado ao aparecimento de doenças cardiovasculares – infarto, pressão alta e derrame, por exemplo. Entre as principais causas do aumento em excesso do colesterol estão má alimentação, sedentarismo, ingestão de bebidas alcoólicas em excesso e tabagismo”, explica.

Algumas estratégias podem ajudar a diminuir a fração nociva do colesterol – “LDL” – e aumentar a sua parte benéfica – “HDL” -, reduzindo o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral, como destaca a especialista. “Uma alimentação balanceada, rica em fibras, antioxidantes, com baixo teor de sódio, gorduras trans e saturadas, associada à prática de atividades físicas, o combate ao estresse e ao tabagismo, são medidas fundamentais tanto para a prevenção quanto para o controle do colesterol elevado”, destaca Flávia.

A seguir, a nutricionista elenca alguns alimentos que devem fazer parte do cardápio sem deixar o prazer à mesa.

Frutas vermelhas: (framboesa, amora, mirtilo, cranberry, goji, cereja, açaí, morango):  ajudam a controlar as taxas de colesterol sanguíneo e atuam na prevenção da hipertensão arterial, levando ao relaxamento das artérias e contribuindo para uma boa saúde cardiovascular.

Peixes (salmão, atum, sardinha): ricos em ômega-3, um tipo de gordura benéfica, que diminui a captação de LDL pela parede das artérias, previnem contra as placas. Para ter apenas benefícios com o seu consumo, prefira as versões assadas, grelhadas e ensopadas;

Chá Verde: a ingestão regular está relacionada à prevenção e controle de doenças cardiovasculares. É fonte de epigalocatequinas (EGCG), poderoso antioxidante, que ajuda na redução dos níveis de colesterol total e LDL- colesterol;

Chocolate amargo: rico em polifenóis, uma classe poderosa de antioxidantes, que ajudam a potencializar os níveis de HDL, conhecido como o “bom colesterol”. Além disso, impede que as plaquetas grudem umas nas outras, mantendo as artérias desobstruídas;

Abacate: grande fonte de gordura monoinsaturada, que contribui para a redução do LDL colesterol e aumento do HDL colesterol, auxiliando na prevenção de doenças cardiovasculares. Concentra altas quantidades de beta-sitosterol, um fitosterol que reduz a quantidade de colesterol absorvida dos alimentos;

Alho: contêm aliina e alicina, antioxidantes que contribuem para diminuir o colesterol e reduzir a pressão arterial;

Azeite de Oliva: fonte de ômega-9 (gordura do tipo monoinsaturada) e ácidos fenólicos com alto potencial antioxidante. Conferem benefícios na prevenção de doenças cardiovasculares, controle da pressão arterial e do colesterol;

Vinho Tinto: contém uma substância chamada resveratrol, que atua na redução do colesterol e tem efeito antioxidante. Ao impedir que as partículas de LDL, conhecido como “mau colesterol”, se oxidem, a substância evita indiretamente que elas grudem na parede dos vasos. No entanto, é preciso consumir com moderação.

Redação

Comments are closed.